terça-feira, 9 de setembro de 2008

NÃO AO CORTE DA ESTRADA MUNICIPAL EM608

Apesar de Coutinho Afonso se situar na maior freguesia da Europa, apenas a 4 km do seu centro, e a meros 25 km da capital do Império, continua a ser tratada ao nível do "terceiro mundo".
Um exemplo muito recente do desprezo pelos seus habitantes (vá lá, agora não são só eles, mas também, pelo menos, os de Algueirão, Cortegaça, Raposeiras, Fação ...), é a forma como a entidade gestora/construtora da auto-estrada A16 pretende avançar com as obras na intersecção dessa auto-estrada com a estrada de ligação Algueirão - Coutinho Afonso (EM308): pura e simplesmente cortando-a!
Os moradores das povoações afectadas desta vez não parecem dispostos a ignorar a elementar falta de consideração e prepotência deste "poder obscuro" (já não nos bastava a inoperância dos locais, tinham de vir mais estes não se sabe bem de onde!), e vai mesmo à luta:


Transcreve-se de seguida comunicado da população.

NÃO AO CORTE DA ESTRADA MUNICIPAL 608
(ALGUEIRÃO-VELHO, COUTINHO AFONSO, CORTEGAÇA, FAÇÃO)


As obras do IC16/A16 nesta zona estão a ser acompanhadas com atenção, curiosidade e expectativa pelas populações.
No local em que a autoestrada cruza a EM608 (na encosta do monte Maria Dias) toda a gente esperava a construção de um túnel.
Afinal a AENOR (executante da obra) e o Min. Obras Públicas projectam fazer um viaduto/ponte e preparam-se para cortar a Estrada Mun. 608 por longos meses para fazerem a obra à maneira deles.
A Câmara de Sintra não soube, ou não conseguiu, garantir os interesses e direitos dos munícipes e das empresas da zona, com decisões a tempo e horas.

As populações de Raposeiras e Coutinho Afonso - que ficariam impedidas do acesso directo à sua freguesia, Bombeiros, segurança e serviços, de Cortegaça e até o principal acesso à Academia da Força Aérea de quem vem da Linha de Sintra (comboio) -, o Comércio e a Indústria locais estão revoltados, não aceitam o corte desta estrada sem uma alternativa no local.
Pelas já saturadas (a horas de ponta) estradas que existem actualmente teria de ser feita uma volta de mais de 10 km, quer pelo Sabugo, Telhal e Recoveiro, ou por Fação, Base Aérea e "Recta da Granja", provocando um caos infernal no complicado trânsito da zona, elevados prejuízos financeiros e empresas e uma incontornável perda de tempo.

É inaceitável que tenham garantido área e espaços para a obra e estaleiros e que numa inqualificável falta de respeito, tenham esquecido e virado as costas às populações e aos milhares de utilizadores desta estrada e que fazem a sua vida e seu sustento através dela. As obras estão a avançar a "todo o vapor" para acabar com as ainda possíveis alternativas.

  • É URGENTE O PROTESTO!
  • QUEREMOS ALTERNATIVAS QUE NÃO CORTEM A EM608!

Está a correr um Abaixo-Assinado que se pode encontrar na quase totalidade das Associações e cafés de Coutinho Afonso, Cortegaça, Quarteiras e Raposeiras, onde estará um painel informativo da evolução da resolução deste problema.
ASSINA, DIVULGA, FAZ CHEGAR POR TODOS OS MEIOS O TEU/NOSSO PROTESTO A TODO O LADO!


Raposeiras, 3 de Setembro de 2008
Moradores de Cortegaça, Coutinho Afonso e Raposeiras

Sem comentários: